Espiritismo

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

SANTOS E ANJOS, SEGUNDO O ESPIRITISMO

Os espíritas crêem nos santos e nos anjos.


Apenas não crêem no sentido determinado pela sistemática das igrejas. Os anjos, para nós são os espíritos altamente evoluídos.


Por exemplo, na Doutrina Espírita, diz o seguinte: existe o reino animal na terra. E após o reino animal, existe o reino hominal, que é a humanidade. Mas além do reino hominal, além da humanidade existe o reino angélico, o reino da angelitude.


Todo homem, toda criatura humana, candidata-se na sua evolução terrena, às condições angélicas. O anjo é o espírito purificado. Não é um anjo de asas, de túnica comprida e assim por diante, nem de estrela na testa.

É simplesmente um espírito evoluído, um espírito que atingiu a superação das condições materiais do homem terreno. Atingindo essa superação, ele se libertou de uma porção de inferioridades e se transformou naquilo que as religiões chamam de anjos.

Por isso, o apostolo Paulo, dizia que os anjos são mensageiros, simplesmente mensageiros e que toda lei nos foi dada pelos anjos.
A lei de Moisés, por exemplo, ditada a Moisés no monte Sinai, foi ditada por espíritos. As religiões interpretam que foi ditada pelo próprio Deus.
É preciso lembrar que na antiguidade os espíritos eram considerados Deuses. Então quando um espírito se manifestava para orientação de um povo, ele dizia “eu sou o vosso Deus”. Na verdade, ele queria dizer “eu sou o vosso espírito guia”.
E o apostolo Paulo reconhece isso nas suas epístolas e nos ensina isso. Então compreendemos bem a nossa posição no tocante a anjos.

Quanto aos santos, para nós existem os santos. São os homens que se sacrificaram pelas suas atitudes, pelo seu comportamento na vida terrena, pela dignidade de sua vida moral, pela sua espiritualidade e pelos altos serviços prestados a humanidade.
Consideramos esses espíritos, como espíritos bons, espíritos benevolentes, espíritos que assistem as criaturas humanas no plano espiritual em que se encontram, atendendo aos nossos rogos, as nossas súplicas, as nossas preces.

Só que não seguimos, naturalmente a sistemática das igrejas. Muitos espíritos que não são considerados santos pelas igrejas, nós consideramos santos, porque eles nos têm demonstrado através de sua atividade, pela mediunidade, que realmente possuem poderes de uma verdadeira santificação.
São dotados de uma grande bondade, de grande clemência, de misericórdia para com as criaturas humanas e estão prontos a doação de si mesmo para servir a todos. Então são santos, também. Acreditamos nos santos”.


18 comentários:

  1. Quanto aos espíritos santos, vc define bem, mas esqueceu de dizer q não usamos esse nome para definí-los. E como necessitamos desses seres em nossas vidas, são eles q nos aconselham nos momentos de dificuldades, ou em sonhos, ou pela intuição. São eles q exemplificam os ensinamentos do Cristo e nos fazem ver q é possível seguí-Lo. São eles q traduzem para a nossa pequenez o q Jesus nos disse há 2000 anos. E q possamos um dia chegar a esse posto. Muita paz!

    ResponderExcluir
  2. muito obrigada minha irmã pela explicação tenha uma otimo fim de semana

    ResponderExcluir
  3. Achei interessante esse pensamento sobre os anjos e os santos na visão da doutrina espírita, Eu inclusive tenho 1 vídeo q/ fala sobre o esp. santo na doutrina espírita, e neste vídeo foi explanado de q/ o esp. santo são os nossos anjos da guarda, e 2º as palavras do meu cirurgião dentista q/ tb é espírita, nós após a morte tb somos candidatos a sermos espíritos santos. Sinceramente, eu ñ sou espírita mas gostei muito desse pensamento, p/ mim, é o pensamento mais próximo do q/ a Bíblia nos ensina acerca do esp. santo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode me mandar este vídeo no watts (47) 992185370

      Excluir
  4. Espírito Santo é Deus e não anjo da Guarda se fosse como Jesus ia ser filho de Deus ia ser filho de um anjo

    ResponderExcluir
  5. Espírito Santo é Deus e não anjo da Guarda se fosse como Jesus ia ser filho de Deus ia ser filho de um anjo

    ResponderExcluir
  6. mas porque em Mateus na biblia fala que santos tem ouvidos e não ouvem , olhos e não enxergão ? e q nao devemos ser devotos aos santos?

    ResponderExcluir
  7. mas porque em Mateus na biblia fala que santos tem ouvidos e não ouvem , olhos e não enxergão ? e q nao devemos ser devotos aos santos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como foi explicado, existem os santos mas não como as igrejas dizem, São Jorge por exemplo que você vai devotar todo dia 23 não entendemos assim, são santos aqueles que buscam fazer de sua experiência algo que os faça evoluir em direção a perfeição.

      Excluir
    2. Isso não exime de em uma outra encarnação este mesmo espirito ter uma conduta que não o faça ser chamado de santo mas dependendo de sua evolução espiritual, possa entender que precisa agir melhor sempre.

      Excluir
  8. Acreditamos nos espiritos que se sagraram santos, assim como santos espiritos que não foram reconhecidos (pela Igreja Católica), tais como Bezerra de Menezes e Chico Xavier. Mas não cabe ao espírita esclarecido a idolatria, e sim respeito e agradecimento por eles mostrarem que o caminho é possivel para qualquer um, pois já foram eles assim como nós. Por outro lado, se o espírita sente-se confortado com sua "parceria" com determinado santo católico, deve fazer sem apegos e sem desejo de reconhecimento. Pois tudo que lhes for pedido, somente nos será concedido segundo nosso merecimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então se eu peço uma coisa, só recebo se julgarem que sou merecedor?

      Excluir
  9. Acreditamos nos espiritos que se sagraram santos, assim como santos espiritos que não foram reconhecidos (pela Igreja Católica), tais como Bezerra de Menezes e Chico Xavier. Mas não cabe ao espírita esclarecido a idolatria, e sim respeito e agradecimento por eles mostrarem que o caminho é possivel para qualquer um, pois já foram eles assim como nós. Por outro lado, se o espírita sente-se confortado com sua "parceria" com determinado santo católico, deve fazer sem apegos e sem desejo de reconhecimento. Pois tudo que lhes for pedido, somente nos será concedido segundo nosso merecimento.

    ResponderExcluir
  10. Acreditamos nos espiritos que se sagraram santos, assim como santos espiritos que não foram reconhecidos (pela Igreja Católica), tais como Bezerra de Menezes e Chico Xavier. Mas não cabe ao espírita esclarecido a idolatria, e sim respeito e agradecimento por eles mostrarem que o caminho é possivel para qualquer um, pois já foram eles assim como nós. Por outro lado, se o espírita sente-se confortado com sua "parceria" com determinado santo católico, deve fazer sem apegos e sem desejo de reconhecimento. Pois tudo que lhes for pedido, somente nos será concedido segundo nosso merecimento.

    ResponderExcluir
  11. Essa questão parece com aquela: os espiritas creem em Deus. Talvez ainda precisemos de uma referencia que venha a nos reconhecer bons e maus, e aplicar em nós recompensas e penalidades. Mas é de conhecimento de muita gente, inclusive de alguns de nós em nossos círculos, algumas pessoas que se dizem sem religião, sem times e mesmo descrentes de Deus, mas que possuem atitudes de santos... Assim, o mais importante é nossa reforma intima. Sim, todos temos muito que corrigir e melhorar... Até os santos, num menor grau, é claro!

    ResponderExcluir
  12. Essa questão parece com aquela: os espiritas creem em Deus. Talvez ainda precisemos de uma referencia que venha a nos reconhecer bons e maus, e aplicar em nós recompensas e penalidades. Mas é de conhecimento de muita gente, inclusive de alguns de nós em nossos círculos, algumas pessoas que se dizem sem religião, sem times e mesmo descrentes de Deus, mas que possuem atitudes de santos... Assim, o mais importante é nossa reforma intima. Sim, todos temos muito que corrigir e melhorar... Até os santos, num menor grau, é claro!

    ResponderExcluir
  13. Acreditamos nos espiritos que se sagraram santos, assim como santos espiritos que não foram reconhecidos (pela Igreja Católica), tais como Bezerra de Menezes e Chico Xavier. Mas não cabe ao espírita esclarecido a idolatria, e sim respeito e agradecimento por eles mostrarem que o caminho é possivel para qualquer um, pois já foram eles assim como nós. Por outro lado, se o espírita sente-se confortado com sua "parceria" com determinado santo católico, deve fazer sem apegos e sem desejo de reconhecimento. Pois tudo que lhes for pedido, somente nos será concedido segundo nosso merecimento.

    ResponderExcluir
  14. "O que pedir ao meu pai em
    Meu nome Ele concederá"! Imagino que somente O Mestre Jesus esteja apto a interceder por nós, sem dúvida que as pessoas que triunfaram nessa terra merecem reconhecimento, mas na minha opinião somente Deus pode julgar adequadamente quem realmente pode ser considerado santo.

    ResponderExcluir